Você gosta disto Pessoa Pessoas

Practice Portuguese

Agora, ao viajar pela TAP pode aprender a dizer as suas primeiras palavras em português ainda antes de aterrar! (...e por português entenda-se “português europeu”, de Portugal, que é muito diferente do português do Brasil, como muitos estrangeiros acabam por descobrir demasiado tarde)

Practice Portuguese foi fundado em 2012 por Joel Rendall (de Ontário, Canadá) e Rui Coimbra (nativo de Lisboa, Portugal). O projeto tem acompanhado o percurso do Joel rumo à fluência na língua portuguesa, graças à paixão do Rui por idiomas e pela sua capacidade em explicar com clareza até mesmo os detalhes mais complexos do português.

Começou como um podcast e evoluiu para uma plataforma interativa completa, com vídeos, quizzes, “Shorties” áudio e muitos outros recursos que ajudam os estudantes a ganhar fluência no idioma sem se sentirem presos numa sala de aula.

Como surgiu a ideia de criar o “Practice Portuguese”?

Joel - Pouco tempo após me mudar para Lisboa, apercebi-me que havia desafios únicos na aprendizagem do português. Havia poucas opções disponíveis. Com tanta variedade de sons inexistentes noutras línguas, ter materiais para desenvolver a compreensão oral (e dominar a pronúncia) era muito importante para mim.

Rui - Na verdade, isto começou como um pequeno projeto paralelo. Os membros pagavam uma pequena taxa para acederem a transcrições que podiam acompanhar com o áudio, e em apenas algumas semanas, a novidade espalhou-se entre a comunidade internacional de estudantes. Ao longo dos anos, tornámo-nos numa plataforma de aprendizagem completa com uma comunidade fantástica de estudantes de português.

 

Quais foram os maiores desafios que tiveram ao longo destes anos?

Rui - Nós queremos sempre fazer muita coisa, desde a tecnologia que suporta a nossa plataforma ao conteúdo que queremos criar a seguir. Juntando isso aos aspetos rotineiros de gerir um negócio, temos de estar sempre muito conscientes de como devemos usar o nosso tempo.

Joel - Agora temos uma filha de 1 ano, e apesar de ser a melhor aventura da nossa vida, a verdade é que torna ainda mais vital gerir o nosso tempo e energia eficazmente. Graças ao apoio leal dos novos membros, formámos uma equipa incrível que nos ajuda a manter tudo em ordem, incluindo criação de conteúdos, desenvolvimento de software, apoio aos membros e outros.

Rui e Joel a gravar um podcast de vídeo recente

Um canadiano a viver em Portugal... A adaptação foi difícil, Joel?

Joel - A parte mais desafiante da adaptação foi a língua, sem dúvida. Sobretudo no início. Todos os dias precisava de muita energia para sentir que estava a fazer progresso. Eu era um web designer com vários projetos, por isso se quisesse tinha uma desculpa para não aprender a língua. Mas ambos sabíamos que isso seria um impedimento para eu me sentir totalmente integrado.

O Rui incentivou-me a dar prioridade ao estudo do português logo de imediato, porque é muito mais difícil motivarmo-nos a aprender quando já nos adaptámos ao país. Aquela onda inicial de motivação no momento da chegada é a mais poderosa.

Outro desafio foi tentar falar com as pessoas em português e elas mudarem para inglês. Isso desanimava-me muito, mas o Rui lembrava-me sempre que os portugueses gostam de acolher pessoas de outras culturas falando as suas línguas.

Rui - Um truque é dizeres a alguém que estás a aprender a língua e que precisas de praticar. Os portugueses costumam ficar muito entusiasmados, porque mostra que não estás só de passagem, mas sim a fazer um esforço genuíno para aprenderes e te adaptares à cultura. 



O vosso projeto embarcou recentemente nos aviões da TAP. Como é que se sentem em relação a isso e quais são as expectativas?

Joel - Em todos os anos em que temos desenvolvido o Practice Portuguese, este foi decididamente um grande marco para nós. 

Rui -  Sem dúvida. Para nós é uma honra e uma alegria muito grande ter os nossos vídeos a bordo e partilhar o nosso projeto com mais pessoas.

Joel - A TAP sempre foi importante para a nossa família. Durante 14 anos o Rui foi tripulante de cabine e ambos temos muito orgulho nisso. Ele conheceu milhares de pessoas das várias culturas que a TAP recebe a bordo. Ele viu em primeira mão o quanto elas gostam da cultura portuguesa e as dificuldades que sentem com a língua, o que tem sido uma grande fonte de motivação para o nosso trabalho. 

O nosso objetivo com os vídeos é que os passageiros da TAP aprendam algumas frases antes de aterrarem. Se alguém nos disser que conseguiram ter a sua primeira conversa em português depois de verem os nossos vídeos, isso será uma grande conquista para nós.


Joel e Rui com a filha (Foto: Rita Ansone, People of Lisbon)
Vídeos do Practice Portuguese disponíveis a bordo da TAP
Joel e Rui com a filha (Foto: Rita Ansone, People of Lisbon)
Vídeos do Practice Portuguese disponíveis a bordo da TAP

Como é que tem sido esta experiência de preparar os vossos vídeos para esta parceria com a TAP?

Rui - Nós estávamos muito empolgados e pusemos logo mãos à obra. Queríamos aproveitar ao máximo esta oportunidade, por isso criámos uma série completamente nova de vídeos, pensados especificamente para os passageiros da TAP. Estamos muito orgulhosos do equilíbrio que conseguimos, entre tornar esta série acessível e cativante e mesmo assim ensinar várias coisas em poucos minutos.

Joel -  Desde que os vídeos foram para bordo, já fomos contactados por passageiros da TAP que nos disseram que descobriram os nossos vídeos a bordo da TAP e isso tem sido muito motivante para nós.



Quais são os vossos planos para o futuro?

Joel -  Temos muitos vídeos novos planeados e estamos sempre a desenvolver novas funcionalidades para a nossa plataforma e aplicação.

Rui - A nossa missão sempre foi criar a melhor plataforma para estudantes de português europeu. Hoje em dia, graças aos comentários constantes da nossa comunidade de seguidores, temos a honra de poder fazê-lo diariamente.

No escritório de Lisboa com a amiga e colaboradora, Molly Rudesill

Querem deixar uma mensagem para os nossos passageiros?

Joel -  Não esperem até dominarem a língua toda para começarem a usá-la... porque isso nunca vai acontecer! Fiquem atentos aos pequenos sinais de que estão a fazer progresso, tais como conseguirem fazer um pedido num restaurante ou ter uma conversa simples na mercearia. Para se tornarem fluentes em português, têm de ultrapassar o medo do ridículo que muitos adultos sentem quando tentam algo novo.

Rui - Mesmo passados 9 anos, o Joel comete erros, mas isso é melhor do que não fazer nenhum esforço e sentir-se um eterno turista. Desafiem-se a vocês mesmos e lembrem-se que cada vez que tentam falar e cometem um erro, evoluem muito mais depressa do que quando estudam apenas com livros de gramática.

Joel - Os idiomas existem para nos conectarmos a outras pessoas, por isso arrisquem e cometam erros!